Finalmente, os dois principais grupos de estudos espaciais do Brasil unirão forças para o bem comum.

A confirmação veio do próprio ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp que deu a certeza de que a fusão irá de fato acontecer. Também foi revelada a existência de um consenso no Governo Federal, para que os dois institutos passem a seguir as políticas das demais agências que já são ligadas ao ministério.

Raupp, que já foi o presidente da Agência Espacial Brasileira, defende sua união com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais há muito tempo. De acordo com ele, a AEB foi criada apenas com o intuito de mostrar que o programa brasileiro era civil e que não recebeu o comando das entidades tecnológicas, algo que lhe prejudicou gravemente.

Aparentemente, a união foi aceita sem problemas por ambas as partes. Umavez que recebeu o apoio do governo e o diretor do INPE aceitou tornar-se membro da diretoria da AEB, este parece ser o início de uma bela amizade.

Via POP